Header Ads

Últimas Notícias

#Boato: Juiz decreta prisão de artista que interagiu nu com criança no MAM

A performance de um artista, cujo corpo, nu, pode ser manipulado pelo público, gerou uma polêmica acalorada após a interação de uma menina com a obra, o que motivou uma investigação judicial.


Depois de várias postagens em redes sociais de que a Justiça de São Paulo teria decretado a prisão do artista responsável pela perfomance nu no Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo, o Tribunal de Justiça de São Paulo divulgou um comunicado na tarde desta segunda-feira informando que a notícia é falsa.


"As notícias inverídicas afirmam que um magistrado paulista teria decretado a prisão do homem pelo crime de abuso sexual. Além disso, o nome do juiz indicado no texto também é inexistente", diz o comunicado.


O Tribunal de Justiça esclareceu ainda que não há em andamento nenhum processo na área criminal sobre o caso. "Existe apenas procedimento de apuração de infração administrativa às normas de proteção à criança ou adolescente. O caso foi distribuído na Vara Central da Infância e Juventude da Capital e corre em segredo de Justiça."


Na semana passada, depois que um vídeo da interação entre uma criança e um artista nu rodou as redes sociais e despertou críticas, o negou que a apresentação tivesse conteúdo erótico. A instituição ainda frisou que a menina estava acompanhada da mãe na sala, quando tocou os pés do performer, no centro da exibição.




O artista, totalmente nu, ficava imóvel ao centro da exibição, na noite de terça-feira. Os espectadores então podiam trocar a posição de seus braços e pernas, colocá-lo deitado no chão, interagir da maneira que quisessem. Segundo o MAM, a sala "estava devidamente sinalizada sobre o teor da apresentação" e avisava sobre a nudez artística. A performance "La Bête", realizada em evento de inauguração da mostra, não tem conteúdo erótico e propõe uma leitura interpretativa da obra "Bicho", de Lygia Clark. Na avaliação do MAM, as críticas de que a interação em "La Bête" foi inadequada tiram a performance do contexto.

Nota do Tribunal de Justiça de São Paulo

O Tribunal de Justiça de São Paulo esclarece que é falsa notícia veiculada recentemente em alguns sites sobre decretação da prisão de um artista que participou de performance no Museu de Arte Moderna, em São Paulo, no último dia 26.

As notícias inverídicas afirmam que um magistrado paulista teria decretado a prisão do homem pelo crime de abuso sexual. Além disso, o nome do juiz indicado no texto também é inexistente.

O Tribunal de Justiça informa que não há em andamento nenhum processo na área criminal sobre o caso. Existe apenas procedimento de apuração de infração administrativa às normas de proteção à criança ou adolescente. O caso foi distribuído na Vara Central da Infância e Juventude da Capital e corre em segredo de Justiça.

Da redação Toni Oliveira - Imprensa On