Header Ads

Últimas Notícias

Deep Web: entenda o que é essa "área" da internet onde a Policia Civil investiga pornografia infantil




Polícia Civil deflagrou esta semana nova fase de operação de combate a distribuição de pornografia infantil dentro da Deep Web













A Operação "Luz da Infância" que está cumprindo mandados de busca e apreensão em 24 Estados, incluindo São Paulo, após investigações de poronografia infantil na chamada Deep Web, termo que pode ser uma novidade para muitas pessoas que usam a rede.  O engenheiro de produção e sistemas Sandro Wiggers, explica que há duas formas de navegar na internet. Enquanto a internet convencional comporta sites que podem ser encontrados por buscadores, como Google e Yahoo, a navegação na Deep Web gira em torno da privacidade.

Neste caso, o acesso não deixa rastros e os sites não são indexados pelos buscadores intencionalmente. Isso não quer dizer que as atividades realizadas na Deep Web sejam necessariamente ilícitas. Um usuário comum pode optar por esta forma de navegação para se comunicar com amigos, por exemplo. “O que se estima hoje é que a parte da internet que acessamos corresponde a um terço do que rola em sua totalidade”, explica Sandro.



Dentro da Deep Web, no entanto, há uma área na qual reina a ilegalidade. Trata-se da Dark Web, onde a imoralidade da internet chega ao extremo. Lá podem ser encontradas páginas que promovem a venda de órgãos, drogas e armas, além do tráfico de pessoas e da distribuição de pornografia infantil. As negociações são feitas por meio da Bitcoin, uma moeda virtual que não pode ser rastreada. Além disso, sabe-se que grupos terroristas, como o Estado Islâmico, são encobertos pela rede.




Para acessar a Deep e a Dark Web é necessário um navegador específico,  que permite que o usuário fique “invisível” na internet e sua localização pareça vir de diferentes lugares simultaneamente. As páginas encontradas, além de contarem com dados codificados, garantem riscos a leigos. “100% desses servidores operam com criptografia avançada”, garante Sandro. “É perigoso para pessoas que não querem ser associadas a esse tipo de coisa acessarem até mesmo a Deep Web”, conta.

Em uma operação como a realizada pela Polícia Civil, o código de criptografia da Deep Web precisa ser quebrado por hackers especializados. “É preciso de acesso e muito conhecimento para entrar nesses lugares, que geralmente são operados por hackers ilegais”, afirma o engenheiro de produção e sistemas.