Header Ads

Últimas Notícias

Mulher de 71 anos com medida protetiva, reata com ex-amásio e é novamente espancada

Uma mulher de 71 anos foi agredida pelo ex-amásio de 34 anos,  na noite 20h15 de  sábado 23, no bairro Jardim Veloso em Pirassununga.  Mesmo com a medida protetiva, a vítima reatou com o agressor. 


Segundo o boletim de ocorrência, a Policia Militar foi acionada para comparecerem na rua Pedro Zanini, para atenderem um descumprimento de medida protetiva. Chegando ao local, a vítima encontrava-se na casa do vizinho, sendo alegado por ela que havia sido agredida pelo ex-amásio , mostrando aos policiais marcas de dedos no pescoço, além de ter relatado que a havia ameaçado de morte com uma faca. Que no momento da agressão, o dinheiro e o celular que estavam em suas vestes caíram no chão, oportunidade que o indiciado se apoderou e fugiu do local, em uma bicicleta.  Ainda segundo o boletim de ocorrência, na  casa da vítima, haviam danos na porta e na fechadura, os quais , segundo ela teria sido provocado pelo indiciado, em posse de um tijolo. 


Os policiais em diligências pelas imediações, localizaram o indiciado pela Avenida Juca Costa, onde em revista e localizado com ele, o celular  da vítima, e a quantia de R$55,00, ( Cinquenta e Cinco Reais ), que ele alegou ter dado a vítima guardar e que pertencia a ele. 



"  A vítima ainda disse para a equipe Policial, que possuia medida protetiva contra ele, porém deixou que ele retornasse para casa acreditando que ele havia mudado. "
Para os Policiais Militares, a vítima manifestou o desejo de representar criminalmente contra o autor, bem como desejou que ele fosse preso, no entanto, perante a a Autoridade Policial, disse que não desejava sua prisão. 

A vítima passou  por exame de corpo delito, sendo atestado no laudo médico da vítima: " hematomas em face à direita e edema na região cervical"


O agressor após exame de corpo delito,  foi encaminhado ao Plantão Policial, sendo ratificado a voz de prisão pela Delegada Titular Tatiana Gristina Parizzoto, a qual arbitrou uma fiança criminal de R$2.000,00 ( Dois Mil Reais ), que não foi pago, sendo o indiciado recolhido à Cadeia Publica Local, onde aguarda por audiência de custódia. 


Por Fim, a autoridade Policial entendeu que não houve descumprimento de medida protetiva , pois conforme foi apurado, a vítima autorizou que o indiciado retornasse para casa.