Header Ads

Últimas Notícias

Lua foi atingida por um meteorito durante o último eclipse total

Imagem: Reprodução 
Os técnicos e observadores da Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon) e da Associação Paraibana de Astronomia (APA), que estiveram observando o primeiro eclipse do ano da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, Altiplano, na madrugada da última segunda-feira (21), gravaram o exato momento em que um meteoro impactou com a lua.
 
A confirmação de que aconteceu mesmo o fenômeno foi reconhecida e vista por várias câmeras ao redor do mundo. O impacto foi relatado e percebido o flash em transmissão do portal timeanddate (https://imgur.com/VSpNGVi). “Na manhã desta terça-feira recebemos a confirmação oficial de que o projeto Midas, que tem observatórios dedicados a observação de impactos lunares na Espanha, registrou o mesmo flash às 04:41:38 UT”, contou o presidente da APA, Marcelo Zurita.
 
Esta não é a primeira vez que um impacto de meteoro com a lua é registrado da Terra durante um eclipse, segundo Marcelo Zurita. “Mas, é certamente o impacto mais registrado da história. Várias câmeras que transmitiam o eclipse ao vivo também gravaram o fenômeno”, comentou.
 
No Brasil este será apenas o segundo impacto lunar registrado em vídeo na história. O primeiro foi em dezembro de 2017, durante a chuva de meteoros Geminídeas.
 
Durante o domingo (20) para a segunda-feira (21) a Associação Paraibana de Astronomia e a Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, promoveram um evento público nos jardins da Estação. Marcelo Zurita, que é membro da Associação e também da Bramon, preparou um telescópio com duas câmeras, uma para transmitir o eclipse em tempo real para um telão e outra para monitorar impactos lunares no momento da totalidade. Os vídeos das duas câmeras estavam sendo gravados, e na noite dessa segunda ao observar um dos vídeos percebeu o flash ocorrido instantes antes do início da totalidade.
 
Isso ocorre quando um meteoroide, ou seja, um pedaço de rocha espacial, atinge a superfície da Lua, em altíssima velocidade, gerando um intenso flash de luz que pode ser captado até mesmo da Terra. Os meteoroides quando atingem a Terra são consumidos pela atmosfera deixando um rastro de luz chamado meteoro, que popularmente é chamado de estrela cadente.
 
“Quando atinge a lua, que não tem atmosfera para proteger, o objeto atinge diretamente a superfície e a energia desprendida é tão alta que acaba gerando o flash de luz muito intenso”, concluiu Zurita.


Veja 


 

Copyright © 2019, Toni Oliveira - Pirassununga ON. Todos os direitos reservados