Header Ads

Últimas Notícias

NASA: Meteoro caiu na Terra com mais energia que a bomba de Hiroxima

A queda de um meteoro assim ocorre duas ou três vezes a cada cem anos, dizem especialistasImagem: Getty Images
Um meteoro explodiu na atmosfera da Terra, acima do Mar de Bering, na Rússia, e gerou energia 10 vezes mais forte do que a bomba de Hiroshima. O fenômeno ocorreu em 18 de dezembro e foi divulgado pela Nasa, a agência espacial norte-americana, nesta segunda-feira (18).

O meteoro entrou na atmosfera terrestre a 115,2 mil km/h em uma trajetória quase vertical. A explosão ocorreu a 25,6 quilômetros da superfície e liberou energia equivalente a 173 mil toneladas de dinamite. Mais fraca, a bomba de Hiroshima, lançada por aviões dos Estados Unidos sobre o Japão em 1945, causou a morte de cerca de 120 mil japoneses.



Segundo a BBC News, a explosão foi a segunda mais intensa dos últimos 30 anos – ficou atrás apenas da explosão de um asteroide em Chelyabinsk, na Rússia, há seis anos, que gerou uma onda de energia responsável por deixar 1,2 mil feridos devido a estilhaços.

A explosão de dezembro no mar da Rússia foi notada pelo Exército norte-americano, que avisou a Nasa em seguida. No entanto, dado que a explosão foi em um local remoto, o fato acabou despercebido pela imprensa. O assunto voltou à pauta agora, durante a 50ª Conferência de Ciência Lunar e Planetária, nos Estados Unidos.



Como a explosão ocorreu próximo a rotas aéreas entre a América do Norte e a Ásia, pesquisadores questionam companhias aéreas se houve, no dia, registro de alguma anormalidade.

O fenômeno chama a atenção porque lembra que, apesar dos esforços, autoridades não conseguem prever todas as quedas de asteroides na Terra. A Nasa trabalha para prever até 90% dessas ocorrências com asteroides maiores de 140 metros de diâmetro até 2020, mas a tarefa não é fácil. A boa notícia, dizem analistas, é que a maior parte do planeta é composta por oceanos, o que reduz as chances de seres humanos serem atingidos.