Header Ads

Últimas Notícias

Pirassununga é o oitavo município a receber o projeto Gota d'Água do Consórcio PCJ

Durante o evento, o Consórcio PCJ lançou o tema da segunda aula on-line do projeto e destaca a poluição do ar, assunto escolhido pela ONU para o Dia do Mundial do Meio Ambiente
O Consórcio PCJ promoveu o 8º Encontro Regional do Projeto Gota d’Água 2019 na última quarta-feira, dia 29 de maio, em Pirassununga (SP). O evento reuniu na sede da Secretaria de Educação professores, representantes de Meio Ambiente e Educação, gestores de saneamento e abastecimento de água de Pirassununga e de outras cinco cidades. Organizada pelo Programa de Educação e Sensibilização Ambiental da entidade, a capacitação presencial foi realizada pela primeira vez no município e mobilizou gestores de todas as escolas da cidade. O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) também se fez representar no evento. 



No encontro, foi anunciada a segunda vídeo-aula do projeto, que estará disponível no sitewww.agua.org.br/cursos. A aula on-line trata da poluição atmosférica, tema escolhido pela ONU para o Dia Mundial do Meio Ambiente, e mostra de que maneira a qualidade da água é afetada pelos resíduos que vêm do ar. Este ano, o Gota d’Água conta com a parceria da ARES-PCJ, que vem ampliando a atuação do projeto ao incluir cidades reguladas pela agência.

Até junho, serão realizados dez encontros regionais com o tema “Desafio Água e Saneamento”. O próximo evento, no dia 6 de junho, será em São Carlos (SP). Nos intervalos das capacitações presenciais, o Consórcio PCJ utiliza aplicativo de envio de mensagens para smartphones para difundir experiências e também promove encontros a distância, por meio de EAD. Além da vídeo-aula sobre a poluição do ar, já está disponível a aula ministrada por Daniel Manzi, coordenador de Fiscalização da ARES-PCJ, que destaca as ações de fiscalização realizadas pela agência reguladora.

O 8º Encontro Regional do Gota d’Água reuniu educadores e gestores de Pirassununga, Leme, Dois Córregos, Jundiaí, Santa Rita do Passa Quatro, Vinhedo e um representante do ICMBio. Como nas capacitações presenciais anteriores, as atenções se voltaram à gestão da água e ao direito universal ao saneamento básico. Além de conhecerem as experiências do projeto, professores e gestores tiveram a oportunidade de expor realidades locais, compartilhar ideias e fazer sugestões a respeito desses dois temas principais.

Com o trabalho conjunto do Consórcio PCJ e da ARES-PCJ, o número de municípios participantes nesta edição do Gota d’Água foi ampliado, passando de 42 para 70 cidades envolvidas na parceria inédita. Carlos Roberto Gravina, diretor técnico da ARES-PCJ, observa que a atuação no projeto contribui para difundir as ações da agência reguladora. Pesquisa recente indica que somente 2% da população atendida pela ARES-PCJ sabe quais são as atribuições da entidade. Entre todas as competências, o executivo explica que, além de praticar a regulação das tarifas, a agência fiscaliza a qualidade da água tratada distribuída às comunidades. “A ARES-PCJ tem importância fundamental no dia a dia das pessoas e é preciso conhecê-la”, ressaltou.

Pirassununga, cidade que participa pela primeira vez do Projeto Gota d’Água, tem aproximadamente 76 mil habitantes. O município é cortado pelo Rio Itupeva e, no Distrito de Cachoeira de Emas, pelo Rio Mogi Guaçu. O abastecimento de água é feito a partir de captações no Ribeirão Descaroçador, Córrego da Barra e Ribeirão do Roque.

Em Cachoeira de Emas fica a sede do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Aquática Continental (Cepta), vinculado ao ICMBio. Referência nacional, o centro é responsável por estudos científicos e ações para conservação de espécies de peixes continentais. O Cepta também monitora a biodiversidade das bacias hidrográficas brasileiras. No distrito, foi construída a Pequena Central Hidrelétrica de Emas, com uma barragem para formação do lago e uma “escada” para a subida dos peixes do Rio Mogi Guaçu no período da piracema.

Andréa Borges, gerente técnica do Consórcio PCJ e coordenadora do Programa de Educação e Sensibilização Ambiental responsável pela realização projeto, ressaltou a importância da adesão de todos os gestores das escolas do município ao encontro inédito de Pirassununga. “Esses educadores têm agora a missão de multiplicar informações, especialmente entre os professores que não puderam sair da sala de aula para estar no evento”, disse. Andréa também destacou a presença de cidades participantes do Programa Município VerdeAzul. Lançado pelo Governo do Estado de São Paulo, a iniciativa avalia e apóia a eficiência da gestão ambiental realizada de forma descentralizada pelos municípios paulistas. “Após essa capacitação presencial do Gota d’Água, os representantes dessas cidades têm ainda mais subsídios para trabalhar a educação ambiental não formal”, afirmou.

Participante do encontro, a professora Vanessa Andreazzi, coordenadora da Secretaria Municipal de Educação de Pirassununga, analisou a utilização das mídias digitais como ferramentas para a conservação do meio ambiente. “Em nosso município, as crianças se envolvem cada vez mais em nossos projetos, em feiras de ciências, mostras pedagógicas e experimentos científicos. “Com a utilização de fotos e vídeos nas redes sociais, vemos que é possível fazer a informação educativa chegar às famílias”, disse.

A coordenadora classificou a apresentação do Gota d’Água no encontro de Pirassununga como “impecável”. “Os organizadores trazem muitas ideias que podemos replicar para os nossos gestores”, disse. “A capacitação é uma formação importante e traz um conteúdo alinhado às diretrizes da Base Nacional Comum Curricular e em consonância com os conteúdos que precisamos difundir nas escolas”, afirmou.



Grupos de discussão e vídeo-aulas

Desde a primeira capacitação presencial do Gota d’Água realizada em Amparo, o projeto vem ampliando uma rede de informações e debates com a criação de um grupo de WhatsApp. Cidade após cidade, os membros adicionados ao grupo vêm participando com perguntas, ideias e sugestões. Thiago Pietrobon, biólogo e consultor do Consórcio PCJ, observa a eficiência deste recurso para a troca de informações e ressalta também a importância do uso das redes sociais. “Com as redes sociais, podemos levar as discussões a outros ambientes, como por exemplo, a grupos de educadores e à comunidade em geral”, disse.

Andréa Borges destacou a função das aulas on-line como forma de complementar as informações apresentadas nos encontros presenciais. “Quem não pode comparecer às capacitações, têm conteúdos à disposição no site do Consórcio PCJ”, afirmou.

A primeira aula on-line disponível no site destaca as ações de fiscalização e monitoramento realizadas pela ARES-PCJ. A vídeo-aula é ministrada por Daniel Manzi, coordenador de Fiscalização da agência reguladora, e pode ser acessada em www.agua.org.br/cursos.

O tema da segunda vídeo-aula, lançado no encontro regional de Pirassununga, destaca a poluição atmosférica, assunto escolhido este ano pela Organização das Nações Unidas para o Dia Mundial do Meio Ambiente. Segundo relatório da própria ONU, aproximadamente 7 milhões de pessoas morrem prematuramente a cada ano, vitimadas pela poluição do ar. “Falamos muito pouco sobre a poluição da água pelo ar. Será o primeiro ano em que vamos trabalhar a poluição atmosférica na contaminação da água”, ressaltou Andréa.
Ainda como recurso para ser utilizado em salas de aula e em reuniões comunitárias, os participantes recebem ao final dos encontros regionais um kit com materiais educativos. O gibi “Turma do Lamba – De olho na água”, o jogo dos 7 erros no uso da água e a publicação “Água: vamos falar sério?” foram elaborados especialmente para que os educadores possam trabalhar em sala de aula com conceitos amplos, como preservação dos rios e uso consciente da água no dia a dia. O material também possui uma versão on-line disponível em “Publicações”, na Biblioteca Digital do site: www.agua.org.br

Agende-se
Este ano, o Gota d’Água será realizado em uma área bem mais abrangente e vai contemplar quatro bacias hidrográficas (PCJ, Pardo, Tietê Jacaré e Sorocaba Médio Tietê). Isto só é possível com a parceria inédita da ARES-PCJ. Desde a criação, em 2015, o Gota d’Água capacita em média 150 mil pessoas ao ano com educação e sensibilização ambiental voltadas à gestão hídrica e proteção dos rios, além de promover o uso sustentável da água e a conservação do meio ambiente.

Depois de Amparo, Ribeirão Preto, Atibaia, Campinas, Indaiatuba, Limeira, Piracicaba e Pirassununga, o projeto tem mais dois encontros regionais programados nas cidades de São Carlos (06/06) e Sorocaba (26/06).
Nos intervalos das capacitações presenciais, o Consórcio PCJ realizará encontros a distância, por meio de EAD, no canal Cursos on-line no site da entidade (www.agua.org.br/cursos). Também vem sendo criado um grupo de WhatsApp do projeto em cada encontro regional para troca de experiências entre os participantes e socialização de ideias e sugestões.

As capacitações são destinadas a professores e estudantes de escolas públicas, além de técnicos das secretarias de Meio Ambiente e dos serviços de saneamento e representantes das comunidades locais. Por meio de atividades educativas socioambientais, troca de experiências, uso de ferramentas tecnológicas e redes sociais, o projeto busca destacar a importância do planejamento e da ação cidadã para a sustentabilidade hídrica.

Em novembro, será realizado o Seminário de Avaliação sobre a iniciativa. Nessa oportunidade, os municípios participantes terão de apresentar vídeos de até três minutos de duração com as ações desenvolvidas com o tema do projeto de 2019. Caberá a uma banca avaliadora escolher os trabalhos que receberão os prêmios “Destaque do ano” e “Sua gota faz a diferença”.

Sobre o Projeto Gota d’Água

O projeto “Semana da Água”, promovido desde 1994 nas Bacias dos Rios Piracicaba Capivari e Jundiaí (PCJ), foi remodelado pelo Programa de Educação e Sensibilização Ambiental do Consórcio PCJ e, a partir de 2014, passou a fazer parte do “Projeto Gota d’Água: #PreserveCadaGota”. A iniciativa tem como objetivo intensificar as ações de educação ambiental que extrapolem a execução das Semanas da Água nos municípios, o que de fato já ocorria na prática. Em média, 150 mil pessoas são capacitadas pelas ações do projeto por ano nas Bacias PCJ. Em 2019, as capacitações têm como proposta debater o tema água e saneamento, por meio de uma parceria inédita e exclusiva com a ARES-PCJ, a agência de regulação dos serviços de saneamento, o que ampliou os municípios atendidos pelo projeto.