O interesse se daria por conta da enorme estrutura logística que a estatal dispõe, com rotas e agências de distribuição de alcance nacional.
A coluna expõe também a possibilidade da Amazon ou Alibaba se unirem a um grande banco nacional para a compra. Assim, o serviço postal seria aproveitado pelas instituições financeiras enquanto a logística seria de serventia das gigantes internacionais.
Ainda não há previsão para o início do processo de privatização.