Header Ads

Últimas Notícias

Cuidados para a compra de brinquedos para o Dia das Crianças


 Victoria Borodinova/Pixabay
Uma pesquisa realizada pelo Procon-SP mostra que a segurança não preocupa na hora da compra de brinquedos. Dos entrevistados, 74,8% das pessoas declararam que não consideram prioridade observar se o brinquedo foi certificado pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

Além disso, apenas 39,6% responderam que priorizam a origem e segurança que o brinquedo oferece. O desejo da criança (32,3%) e o preço (28,1%) são os atributos mais importantes na hora da escolha. O Procon-SP considera “motivo de preocupação saber que mais de 60% dos consumidores não citem a origem e segurança como os fatores mais importantes na aquisição de um brinquedo”.
De acordo com relatório do Inmetro, os acidentes com produtos infantis cresceram desde 2017 entre as causas de ocorrências com crianças. Até junho deste ano, o aumento foi de 54% para 70%. As principais lesões com brinquedos são contusões, corte, sufocamento e intoxicação.
Os problemas mais comuns, acrescentam os especialistas da ONG Criança Segura,  são a falta de observação sobre a indicação da idade adequada, obrigatória e que deve estar impressa na embalagem, e outros referentes a “peças pequenas de brinquedos, além de pilhas, baterias e imãs, que podem fazer com que as crianças engasguem e sufoquem. Fora isso, algumas tintas usadas para pintar brinquedos são tóxicas, devido à presença de materiais como chumbo e mercúrio. Outros riscos que devem ser considerados pelos pais são a presença de arestas ou formas pontiagudas”.
A pesquisa ficou disponível no site e nas redes sociais do Procon-SP de 22 de agosto a 17 de setembro. Um total de 991 consumidores responderam aos tópicos e, destes, 687 declararam que costumam comprar brinquedos.

6 CUIDADOS NA HORA DE DECIDIR PELO PRESENTE

1. Inmetro
Brinquedos nacionais ou importados devem trazer o selo do Inmetro. A presença dele é obrigatória e indica que o produto foi submetido a testes em laboratórios e atendeu a requisitos mínimos de segurança
2. Desconfie do barato
O mais barato pode sair muito caro. Por mais que os preços oferecidos pelo comércio informal sejam atrativos, os brinquedos podem oferecer riscos, como a presença de metais pesados
3. Faixa etária
Selecione o brinquedo considerando a idade. A faixa etária a que ele se destina deve constar na embalagem, assim como informações sobre o conteúdo, instruções de uso, de montagem e eventuais riscos associados à criança
4. Segurança
Ao dar produtos esportivos de presente, como bicicletas, skates, patins, raquetes e bolas, entre outros, garanta que a criança receba também os equipamentos de proteção, como capacete, joelheira, cotoveleira e luvas
5. Peças pequenas
Brinquedos com peças muito pequenas podem se desprender e ser ingeridas ou mesmo inaladas, causando sufocamento. Uma das principais causas de engasgamento é a bexiga/balão de látex
6. Risco de ferimentos
Atenção aos brinquedos que possuem partes cortantes ou pontiagudas, que podem ocasionar ferimentos. Produtos com correntes, tiras e cordas com mais de 15 cm devem ser evitados para reduzir o risco de estrangulamento